Faculdade particular: como tornar esse sonho possível?

O sonho de grande parte dos jovens que terminam o ensino médio é entrar na faculdade e obter o diploma de curso superior. Ser formado era, até pouco tempo atrás, um objetivo quase tão impossível de conquistar que muita gente nem se dava o direito de sonhar com ele.

Porém, hoje, existem muitas opções de curso e de programas de financiamento estudantil — e até mesmo de instituições de ensino privadas. A faculdade particular, por exemplo, tornou-se muito mais acessível — tanto pelas modalidades disponíveis quanto pela facilidade de pagamento das mensalidades.

Quer conhecer as vantagens de optar pelo ensino superior privado e saber como entrar na faculdade particular? Continue a leitura e descubra como se matricular e conseguir bancar os gastos, além de aumentar a renda e obter seu tão esperado diploma!

Como escolher uma boa faculdade privada?

O primeiro passo para escolher uma boa instituição de ensino é verificar se ela é reconhecida e bem avaliada pelo Ministério da Educação (MEC). Faculdades que não têm esse reconhecimento não podem emitir diploma válidos.

Então, esse ponto nos leva a outros importantes, como:

  • qualificação dos professores;
  • empregabilidade e boa aceitação da faculdade pelo mercado;
  • infraestrutura compatível com o curso escolhido (laboratórios, sistema de ensino etc.);
  • oferta de cursos e modalidades de estudo (presencial, semipresencial e 100% online).

Pesquisando esses pontos antes de se matricular, você garante que vai fazer um curso de excelente qualidade, o que ajudará bastante na hora de conquistar uma vaga no mercado de trabalho.

O que é preciso para se matricular em uma faculdade privada?

A princípio, o único requisito para cursar uma graduação é ter concluído a educação básica. Após o ensino médio, ou ainda durante essa etapa, os estudantes começam a se preparar para a entrada no curso superior — o problema é que nem todos conseguem, já que o número de vagas disponíveis não era suficiente. Imagine um funil, pelo qual só os estudantes com mais condições passam.

Mas essa realidade mudou com o crescimento da rede privada de ensino superior e da ampliação do número de vagas. Formas de pagamento alternativas foram criadas (inclusive pelo próprio governo) para que mais alunos pudessem ingressar em uma graduação.

Dessa forma, se você quiser se matricular em uma faculdade privada, precisa, em primeiro lugar, separar seus documentos e escolher uma das formas de ingresso.

Vestibular tradicional

Essa é a forma mais fácil de entrar na faculdade particular. Busque o site da instituição e selecione a página correspondente à inscrição. Depois, digite seus dados pessoais:

  • CPF;
  • RG;
  • nome completo;
  • data de nascimento;
  • e-mail;
  • endereço;
  • celular;
  • ano de conclusão do ensino médio.

Na sequência, serão solicitadas as informações sobre o curso desejado, a modalidade escolhida, a unidade e o turno. No caso de optar pelo vestibular agendado, informe, de acordo com sua disponibilidade, quando e onde pretende fazer a prova.

Por fim, informe se precisa de algum apoio para acessibilidade na hora da prova e faça o pagamento da taxa de inscrição.

Nota do Enem

Se você já tiver feito o Enem, pode usar esse resultado como forma de ingresso na faculdade particular. Os requisitos são:

  • ter participado em alguma das edições do Enem nos últimos 3 anos;
  • ter obtido nota mínima de 200 pontos nas provas de conhecimentos e na redação.

Assim, o estudante não precisa fazer outra prova para entrar na faculdade. Basta apresentar documentos que comprovem o seu desempenho no Enem.

Prouni

Aqui também é utilizada a nota do Enem, mas a concorrência é ampla. O candidato se inscreve pelo site do programa. De acordo com o número de vagas disponibilizadas pela instituição, os estudantes com melhores resultados no Exame Nacional recebem bolsas de 50% ou de 100%.

Quais são as alternativas para custear os estudos?

Se você cumprir todos os passos até aqui, pode estar se perguntando: e agora, como pagar faculdade particular? A graduação costuma demorar de 2 a 5 anos, dependendo do curso e do formato escolhido. E se, nesse período, você for demitido ou passar por algum problema financeiro mais grave?

Prevendo situações como essas, as faculdades particulares contam com uma série de projetos e programas de benefícios que ajudam os estudantes a custear os estudos sem passar dificuldades econômicas nem precisar fazer sacrifícios nesse sentido.

Afinal, todo mundo tem família, despesas e, ainda mais, o país passa por momentos de crise e incertezas. Isso contribui para aumentar a insegurança na hora de assumir compromissos de longo prazo.

Pois é pensando em tudo isso que apresentamos as alternativas seguintes para que você possa estudar e manter a qualidade de vida.

Bolsa de estudos

As bolsas de estudos são formas de órgãos públicos ou privados ajudarem a custear os gastos dos alunos de modo geral –– não só em relação à mensalidade, mas a alojamento, materiais, alimentação e outros.

Existem bolsas de diferentes tipos, como:

  • financeiras: dadas a estudantes de baixa renda, em situação familiar precária;
  • acadêmicas: alunos que se destacam, com alto nível de rendimento escolar, são agraciados com esse benefício, também chamado de bolsa de estudo de mérito;
  • artísticas e esportivas: contemplam estudantes que se dedicam às artes ou a algum esporte. Nesse caso, representam a faculdade em campeonatos nacionais. Essa é uma modalidade muito comum nos Estados Unidos.

Prouni

No Brasil, o Programa Universidade para Todos (Prouni) é o maior fundo de investimento nesse setor. Pelo Prouni, o Governo Federal amplia o acesso ao ensino superior a mais de 150 mil estudantes por ano.

Bolsa Incentivo

Nessa modalidade, disponível em algumas faculdades particulares, o estudante com dificuldade de iniciar o curso participa do processo seletivo normalmente. Depois de matriculado, faz o pedido de Bolsa Incentivo, comprovando dificuldades financeiras.

Essa bolsa é válida, inclusive, para alguns dos cursos mais caros e concorridos.

Bolsa Primeiro Semestre

É um tipo de bolsa específica para calouros, que dá direito a até 20% de desconto nas parcelas do primeiro semestre de curso, independentemente da renda familiar.

Bolsa Servidores Públicos e Militares

Essa bolsa dá direito a 30% de desconto durante o curso para pessoas que se encaixam na descrição, além de cônjuges e filhos de até 24 anos. Vale para cursos EAD e presenciais.

Bolsa familiar

Basta comprovar o parentesco para que cada pessoa do grupo familiar ganhe 20% de desconto nas mensalidades. Dessa forma, cônjuges, pai e filho, irmãos ou qualquer outra combinação familiar está apta a receber essa bolsa.

Convênio Empresa

Algumas empresas firmam convênio com faculdades para que os funcionários tenham mais facilidade de se capacitar. Cursos Tecnólogos, Bacharelados e Licenciaturas recebem bolsistas dessa modalidade. O benefício, muitas vezes, se estende a cônjuges de funcionários.

Bolsa de iniciação científica

Alunos que desenvolvem pesquisa na faculdade, orientados por um professor, podem receber uma bolsa de iniciação científica. Em alguns casos, é ofertada pela instituição, enquanto em outros, por uma agência de fomento (Capes, CNPq, Fapemig etc.).

O estudante precisa desenvolver um projeto de pesquisa sobre tema relevante e nos métodos adequados. Caso seja selecionado, tem um prazo para finalizar o trabalho. Essa é uma excelente forma de se qualificar para a profissão que vai exercer e de divulgar os resultados em simpósios e congressos, ampliando seu network.

Essa opção não quita a parcela da faculdade, mas pode ser destinada a esse fim. Por exemplo, se o aluno já é beneficiário de outra bolsa, a iniciação científica não o fará perder o benefício.

Bolsa de auxílio docente

Professores já formados podem conseguir auxílio e descontos para obter uma nova titulação (segunda graduação) e continuar investindo na área da educação. Se o curso for a distância, os benefícios podem ser maiores ainda.

Bolsa estágio

Essa bolsa-auxílio é uma remuneração dada ao estudante quando ele realiza um estágio não obrigatório. Ou seja, o aluno cumpre uma carga horária que não está prevista na sua grade curricular.

Além de ser uma excelente oportunidade de aprendizado e inserção prática no mercado, a bolsa estágio é a chance de começar a receber pelo seu trabalho ainda na faculdade.

Como se organizar para ter renda extra e facilitar o pagamento?

Como vimos, há chances de conseguir bolsas integrais, descontos em mensalidades e até ajuda financeira (no caso de programas de iniciação científica). Mesmo assim, é preciso procurar formas de ganhar um dinheiro extra durante a faculdade, não só para facilitar o pagamento, mas para gastos eventuais com o curso. Em última instância, dá para fazer uma poupança e começar a carreira com o “pé de meia”, certo?

Com o objetivo de mostrar a você que é possível ganhar dinheiro extra durante a faculdade sem atrapalhar o rendimento nos estudos, separamos alguns exemplos. Confira!

Afiliar-se à plataforma de vendas

Uma rede de afiliados funciona como uma plataforma de vendas. Não é preciso ter concluído a graduação para começar a trabalhar nela. Basta escolher a que tem mais a ver com seu perfil e começar a divulgar os produtos — inclusive nas suas redes sociais.

Funciona da seguinte maneira: após se inscrever, chega um link para divulgação do material ou do produto. No caso da educação, deve indicar os cursos das faculdades participantes da rede e, quando alguém se inscrever por indicação sua, você recebe uma comissão. Prático demais, dá para fazer até pelo celular.

Ser um consultor de vendas durante a graduação é uma boa forma de se socializar, lidar com as novas tecnologias e, ainda, aumentar a renda sem sair de casa. A única condição é se cadastrar e se formalizar como MEI, isto é, fazer um registro como pessoa jurídica.

Depois, é só começar a fazer suas vendas e receber por elas. Não é preciso nenhum investimento inicial ou aporte financeiro.

Fazer trabalho freelance

Ótima oportunidade de trabalhar de home office ou, quem sabe, se tornar um nômade digital! Essa prática tem muitas vantagens, como possibilidade de ficar mais perto da família e dos pets durante o dia, organizar seus próprios horários e sem o desgaste de passar horas no trânsito todos os dias.

Estamos falando, nesse caso, do trabalho freelancer (já que algumas empresas até adotam home office, mas com horários e metas pré-definidos). O freelancer pode atuar da própria residência, da cafeteria, da praia ou de onde ele estiver.

Se seu curso for EAD, é possível conciliar estudo e trabalho online e ainda sobrar tempo para lazer, atividades físicas e uma boa qualidade de vida.

Mas que tipo de trabalho pode ser feito nessa modalidade para ajudar a pagar faculdade particular? Veja as opções que listamos a seguir:

  • redator e revisor de textos;
  • designer gráfico;
  • gestor de mídias sociais.

Depois de formado, é possível continuar trabalhando em regime freelancer na sua nova área de trabalho:

  • jornalista;
  • contador;
  • arquiteto;
  • desenvolvedor;
  • professor;
  • vídeo maker.

Essa é uma área em ascensão, com estimativa de mais de 4 milhões de pessoas só no Brasil. Nesse mercado, tem muita gente prosperando.

Prestar serviço de pet sitter

Nossa última sugestão vale para quem é apaixonado por pets e quer aquele dinheiro extra no fim do mês fazendo o que ama: cuidar de bichos. Seja por aplicativos, como o DogHero, seja divulgando na sua vizinhança ou em redes sociais, você pode ir em busca de clientes para creche (day care) ou hotelzinho, ficando com os animaizinhos quando os donos forem viajar.

O melhor é que essa atividade não atrapalha em nada seus estudos! Você pode continuar assumindo seus compromissos enquanto cuida dos hóspedes caninos.

O sonho de entrar na faculdade está mais perto do que nunca. O que, antes, era considerado quase um privilégio, hoje é realidade para estudantes de escolas públicas e de baixa renda. A faculdade particular está de portas abertas esperando por você, como bolsas, descontos e programas de financiamento. É só encontrar a sua e começar uma atividade para ajudar com os custos.

Se você se interessou pelas possibilidades, conheça o marketing de afiliados: tudo o que você precisa saber sobre o assunto, e dê início à realização do seu sonho e à conquista do seu diploma.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.