lista de e-mail

Veja as 7 melhores práticas para construir sua lista de e-mail

Ter uma lista de e-mail é essencial para quem atua como afiliado digital. Afinal, é um canal de comunicação direto com potenciais clientes e clientes ativos. Serve para promover artigos do blog, divulgar produtos ou serviços, interagir com leads e construir seu relacionamento com eles, além de conseguir melhores conversões.

Para desenvolver sua base de contatos, é preciso adotar boas práticas na hora de captar as informações. A forma como você faz isso pode atrair ou afastar as pessoas. Portanto, neste artigo, vamos compartilhar dicas sobre como criar lista de e-mails. Quer saber o caminho para usar a ferramenta em sua estratégia de marketing digital? Continue a leitura!

1. Trace uma estratégia

Contar com um plano de ações vale tanto para quem já tem uma lista como para quem está dando os primeiros passos no mercado de afiliados. Então, antes de qualquer movimento, pense em uma estratégia para criar sua lista: 

  • defina um objetivo — atrair novos clientes, nutrir e fortalecer o relacionamento, apresentar um produto;
  • leve em conta o funil de vendas para oferecer o conteúdo certo para cada etapa na jornada de compra;
  • invista em uma landing page para captar as informações de contato (nome, telefone, e-mail, profissão, enfim, apenas o necessário para a etapa do funil escolhida);
  • escolha métricas para acompanhar a performance dos seus e-mails.

O planejamento estratégico de marketing é o primeiro passo antes de colocar qualquer ação em prática. Afinal, é ele que guiará os seus passos, ajudando você a ver o que funciona e o que precisa de ajustes para trazer melhores resultados.

2. Não compre listas prontas

Você já deve ter visto por aí a possibilidade de comprar lista de e-mail pronta. Parece um atalho para conquistar seus objetivos mais rápido? Pode até parecer, mas não é. A prática influencia de forma negativa a sua reputação, além de ser onerosa. 

Listas compradas não passam pela autorização das pessoas, por isso têm um baixo grau de engajamento. Elas são compostas por um grupo de contatos que não conhece você, nem demonstrou interesse em seus produtos ou serviços. Pode até mesmo não fazer parte da sua persona, ter endereços falsos ou inativos. 

Além disso, as chances de conversão também são bem baixas, quase nulas. Sem contar o risco de cair na caixa de spam, prejudicando o envio para quem quer receber seus e-mails. E não se esqueça dos impactos da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), que está em vigor no Brasil desde 2020.

3. Entenda o uso das ferramentas

Para otimizar seu dia a dia e focar em aumentar suas vendas digitais, você pode contar com o auxílio de ferramentas de automação. Com elas, é possível usar e personalizar templates predefinidos, organizar e agendar envios, segmentar seu grupo de contatos e monitorar o andamento de todas as campanhas.

Sem contar a possibilidade de acessar relatórios, que mostram a taxa de abertura e a taxa de cliques. Ambas são métricas importantes para gerenciar a lista de e-mail, bem como avaliar o desempenho e se seus objetivos estão sendo alcançados.

4. Aprenda a construir landing pages

Além de apostar no uso de ferramentas de automação, outra dica para criar sua base vem com o uso de landing pages. Trata-se de uma página com foco em conversão. Em troca das informações de contato de potenciais leads, você oferece um material rico — e-book, acesso a um webinar, planilhas, infográficos, entre outros formatos.

Em poucas palavras, funciona como uma isca digital. Para ser eficaz e gerar conversões, a página deve ser simples e intuitiva, além de ter uma chamada atrativa para guiar o visitante a preencher o formulário com seus dados. 

5. Ofereça o opt-out sempre

Outra boa prática tão importante quanto não comprar uma lista de e-mail tem a ver com o desapego. O que isso significa? Que você deve deixar a opção de opt-out disponível em todas as campanhas de marketing que enviar. É aquele link de descadastro, geralmente no início ou no final do e-mail.

Onde quer que esteja, a opção de sair da sua lista deve estar visível e sem mensagens para desestimular a ação. O que você pode fazer é guiar o lead até uma página de descadastro e perguntar o motivo, ou se ele não deseja apenas reduzir a frequência. A escolha final é dele!

6. Construa um relacionamento

Mais do que vender, um dos principais objetivos da lista de e-mails para afiliados é construir e fortalecer o relacionamento com seus leads. É um canal de comunicação direto com eles, que acompanha a jornada de compra, ou seja, as etapas do funil de vendas.

Logo, aproveite para enviar o conteúdo certo de acordo com o momento de cada um. No topo, a relação pede um fluxo de nutrição para aproximar os potenciais clientes. No meio, você já pode começar a se aprofundar em suas necessidades e se mostrar como solução. No fundo, parta para a venda e não se esqueça de manter contato no pós-venda.

7. Aposte na entrega de valor

A entrega de valor tem a ver com o envio de conteúdo relevante, de qualidade e de acordo com o momento de compra de cada cliente. Por isso, é importante segmentar seus contatos conforme as etapas do funil e acompanhar enquanto eles se movem do topo ao fundo.

Se você é afiliado na área da educação, pode enviar artigos do blog sobre a importância de investir em um curso de ensino superior para se profissionalizar. Se os alunos já mostraram interesse em algum curso, compartilhe posts mais aprofundados, planilhas ou até infográficos sobre as profissões e o mercado de trabalho. 

Já para o momento de decisão, isto é, no fundo do funil, apresente cases de sucesso, como depoimentos de alunos bem-sucedidos em suas carreiras. Outra estratégia é oferecer a degustação gratuita dos cursos online de interesse do seu público.

Faça um bom uso do e-mail nas suas estratégias!

Então, o que achou das boas práticas que compartilhamos até aqui? Se você seguir nossas dicas, sua lista de e-mail tem tudo para trazer os melhores resultados.

O caminho para isso é traçar uma estratégia, evitar a compra de grupo de contatos, apostar no uso de ferramentas e das landing pages, disponibilizar o opt-out e valorizar o relacionamento e entregar valor. Além disso, a qualidade dos produtos também garante uma boa relação. Portanto, escolha bem seus parceiros como afiliado.

Quer mais conteúdo para se desenvolver? Aqui estão 8 ferramentas de marketing digital que você precisa conhecer!

Guia prático: obtendo sucesso no trabalho em um programa de afiliados

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.