Personal branding: fotografia de uma mulher fazendo uma palestra para um grupo enorme de pessoas.

Entenda o que é personal branding e como planejar o seu!

Você já deve ter ouvido a expressão “qualquer um pode ser famoso” circulando por aí. Com as redes sociais e a popularização dos influencers, ela se tornou verdade: todos nós temos algo único e que pode ser usado para nos destacar dentre os demais. E foi a partir dessa filosofia que o personal branding se desenvolveu.

Ao contrário do que muitos acham, porém, o personal branding não tem como foco a ideia de vender a própria imagem, e sim a construção dessa imagem como algo inspirador. Assim, pode auxiliar a venda de produtos, a construção de uma marca ou simplesmente a construção de uma comunidade.

Quer saber mais? Continue lendo e entenda o que é personal branding, quais são os seus pilares e como planejar o seu do zero!

O que é personal branding?

O personal branding (ou marca pessoal, em tradução livre) é uma estratégia usada por diferentes pessoas para atribuir um valor à sua imagem pessoal. Dessa forma, elas podem ser reconhecidas pelas características que mais as destacam, aumentando sua presença e sua autoridade diante de um grupo de pessoas.

Um bom personal branding faz com que você seja reconhecido por quem você é e inspire um grupo de pessoas a partir de características bem definidas. Pense, por exemplo, no Steve Jobs — um dos maiores casos de personal branding que já tivemos: sua imagem era responsável por passar seriedade e segurança, graças a uma série de ações conscientes, como usar sempre o mesmo tipo de roupa para mostrar que o seu foco não estava na sua apresentação, mas no seu trabalho.

Para ter um bom personal branding, porém, não é necessário ser um artista famoso, um criador de um produto multibilionário ou uma personalidade controversa. A filosofia do personal branding parte do princípio de que todos nós podemos contribuir de alguma forma para o mundo. Desse modo, basta entender o que te faz único e focar nisso!

Qual a diferença entre personal branding e marketing pessoal?

Embora sejam conceitos bastante próximos, o personal branding e o marketing pessoal diferem entre si graças ao seu foco: enquanto o personal branding está focado em uma pessoa e nas suas individualidades, o marketing pessoal tem foco nas expectativas e demandas externas de um público.

Para entender melhor essa diferença, é importante pensar que o marketing é uma rede de estratégias diversas, que vai além do branding. Todas elas, juntas, constroem uma marca, que passa a ser reconhecida por um público — e da qual se esperam posicionamentos específicos.

O personal branding, por sua vez, é uma estratégia que foca no indivíduo e nas suas características especiais. Nesse sentido, é uma maneira de fazer com que a pessoa se destaque dentre as demais e possa, dessa forma, influenciar um público em um determinado assunto. 

Leia também: Ganhar dinheiro indicando: qual app usar?

Quais são os pilares?

O personal branding, para que seja bem executado, se baseia em 5 pilares fundamentais. Cada um deles diz respeito a um aspecto da nossa individualidade que deve ser analisado mais a fundo e pensado de forma a comunicar aquilo que queremos que seja associado à nossa identidade pública.

Abaixo, você descobre quais são os pilares do personal branding e como articulá-los em conjunto. Confira!

1. Identidade

Este é o pilar-base do personal branding e diz respeito a quem você é de fato. Ou seja, quais são os seus valores, suas crenças, suas características mais íntimas — coisas que são inerentes a você e à sua vida. Elas servirão como um ponto de partida para o modo como as pessoas te enxergam.

2. Posicionamento

O seu posicionamento diz respeito à maneira como você se apresenta para os outros, a partir da sua identidade. Por exemplo: se você é uma pessoa honesta, que não acredita em joguinhos, o seu posicionamento tende a ser mais assertivo e direto ao ponto. Essa postura faz com que as pessoas te enxerguem de determinada forma e elaborem um julgamento. 

3. Reputação

A sua reputação é o resultado do seu posicionamento na sua área de atuação. Ou seja: se você trabalha no marketing de afiliados, por exemplo, e é uma pessoa assertiva, isso pode te ajudar a conseguir mais clientes e, consequentemente, a reputação de uma pessoa de sucesso. Nesse sentido, a reputação já é um julgamento externo, mas ainda está diretamente associada aos seus projetos e objetivos pessoais.

Leia também: O que é reputação online e como ela impacta as vendas?

4. Imagem

A sua imagem é o resultado do seu posicionamento em diferentes cenários, e é determinada pela forma como as pessoas te enxergam a partir do modo como você se coloca. Se você costuma ter uma posição assertiva, por exemplo, é comum que a sua imagem seja associada a de uma pessoa mais séria e mais formal. 

Além disso, a sua reputação também contribui para a sua imagem. Quanto mais sucesso você alcança, por exemplo, mais a sua imagem é associada a coisas positivas. Se, por outro lado, você faz algo muito ruim e que recebe muita atenção, essa imagem pode sofrer publicamente — como no caso dos “cancelamentos”.

5. Comunicação

A comunicação, por fim, é o modo como você se apresenta publicamente para as pessoas que já tem uma imagem construída de você. Aqui, unem-se todos os pilares anteriores, e você deve conseguir se apresentar de modo a manter a sua identidade, mas levando em conta a sua reputação e a sua imagem. 

Espera-se, por exemplo, que o CEO de uma marca seja uma pessoa mais formal, então ele deve se comunicar de forma clara (sem gírias e palavras de baixo calão). Isso significa que a comunicação leva em conta o equilíbrio entre o que é público e o que é privado, seguindo certas expectativas sem que, para isso, você abdique da sua essência.

Fotografia de uma mulher trabalhando e anotando em alguns papeis.

Como planejar o seu personal branding?

Agora que você já entendeu o que é personal branding e como ele se estrutura, é hora de pôr a mão na massa e começar a planejar o seu. Mas lembre-se: no personal branding, você é o seu próprio produto, e, portanto, deve pensar nas suas ações e na sua imagem de forma menos pessoal. 

Abaixo, você confere os 5 passos para planejar um personal branding do zero. Continue lendo e aprenda!

1. Faça uma análise de si mesmo

O primeiro passo para planejar o seu personal branding é entender quem você é. Por isso, técnicas de autoconhecimento são muito bem-vindas nesta etapa, e o seu foco deve ser entender: 

  • como você é percebido;
  • quais características suas normalmente chamam mais atenção; 
  • como elas se alinham aos seus objetivos.

Ou seja: este é o momento de entender o que as pessoas associam a você, e se essas associações fazem sentido com a imagem que você quer construir.

2. Entenda o que te torna único

Uma vez listadas todas as suas principais características, é hora de tentar descobrir o que te torna único. É o jeito como você lida com problemas? A sua postura em relação a determinado assunto? Ou talvez o seu domínio sobre um tema? 

Descobrir essa característica principal é fundamental porque ela será a base do seu personal branding, ou seja, será a coisa pela qual você será reconhecido. Por isso, também é importante que ela esteja alinhada com os seus valores e objetivos, e com a mensagem que você deseja transmitir.

3. Trace a sua estratégia

Lembre-se: quando falamos de personal branding, você é o seu próprio produto. Assim, também deve ter uma estratégia a longo prazo. Então pergunte-se: onde você quer chegar com o personal branding? Quais valores quer transmitir? Como quer ser reconhecido?

Em seguida, defina quais ações te ajudam a alcançar esses objetivos. Se você quer ser um especialista, como você pode passar a ser reconhecido dessa maneira por outras pessoas? Isto é: como cada vez mais pessoas podem associar aquela característica a você?

4. Lembre-se dos detalhes

Além das grandes ações que você pode fazer para se destacar e alcançar cada vez mais pessoas, também é fundamental manter em mente que os detalhes importam. Assim, avalie quais deles ajudam a criar o seu personal branding. Como você se apresenta? Como você se comunica com as pessoas no seu dia a dia, quando os holofotes não estão em você?

Essas pequenas coisas, somadas, também contribuem para que você se torne alguém bem-quisto e com uma imagem coerente. Afinal, não há nada pior do que descobrir que uma pessoa que parece legal em público é, na verdade, bastante difícil de lidar no particular.

5. Avalie os seus resultados

Por fim, você deve avaliar se as suas ações estão te ajudando a chegar aos seus objetivos, isto é, se a sua estratégia está dando certo. Para isso, você deve identificar se o modo como as pessoas reagem a você é condizente com as suas expectativas.

Lembre-se de que o personal branding é flexível, afinal estamos sempre mudando e aprendendo coisas novas. Nesse sentido, se a sua imagem ainda não é a que você gostaria, sempre podem ser feitos ajustes.

Esperamos que este conteúdo tenha te ajudado a entender melhor o personal branding. Depois de colocar esses aprendizados em prática, aproveite para descobrir como produzir conteúdo para a internet!

Guia prático: obtendo sucesso no trabalho em um programa de afiliados

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.