Tráfego pago para afiliados: fotografia de um homem trabalhando com seu tablet de casa.

Guia iniciante do tráfego pago para afiliados

Para explicar de maneira rápida, o tráfego pago diz respeito aos usuários que chegam ao seu site ou página de internet por meio de anúncios em plataformas específicas. Ao contrário do tráfego orgânico, na estratégia paga você precisa ter um orçamento disponível para contratar as plataformas de anúncio.

Por exemplo, você pode investir em links patrocinados no Google Ads para colocar um link no topo dos resultados de busca. Esses links podem direcionar os usuários para seu contato ou para uma página de divulgação de produtos. Gostou da ideia? Neste post, vamos falar mais sobre essa estratégia e você entenderá se vale a pena usar o tráfego pago para afiliados. Confira!

Como funciona o tráfego pago para afiliados?

Primeiramente, é necessário escolher uma plataforma ou rede de anúncios onde você deseja divulgar seus produtos ou páginas. Existem diversas opções no mercado, como o Google Ads, Facebook Ads, Instagram Ads e LinkedIn Ads (vamos explicar melhor abaixo).

Após escolher a plataforma, é preciso definir um objetivo para sua campanha de anúncios. Pode ser aumentar as vendas de um produto específico ou atrair mais leads para sua lista de e-mails, por exemplo. Com o objetivo estabelecido, é hora de criar o anúncio propriamente dito.

Nesse processo, você terá que definir o público-alvo que deseja atingir com sua campanha. Isso inclui faixa etária, interesses, localização geográfica e outros aspectos relevantes para seu nicho de mercado.

Por fim, você precisará definir o valor que está disposto a pagar por cada clique ou visualização do anúncio, dependendo da plataforma escolhida. Essa é uma das vantagens do tráfego pago: você pode controlar seu orçamento e os resultados são mais mensuráveis em comparação ao tráfego orgânico.

Quais são as principais plataformas?

Nas fontes de tráfego orgânico, você consegue criar os anúncios personalizados, planejar em quais sites eles devem aparecer para os usuários e monitorar em tempo real os resultados de cada um.

Vejamos uma lista das fontes de tráfego pago mais populares:

  • Google Ads;
  • Facebook Ads;
  • YouTube Ads;
  • Instagram Ads;
  • LinkedIn Ads;
  • Twitter Ads.

Vale frisar que não existe uma escolha melhor ou pior da fonte de tráfego pago. É importante direcionar sua decisão a partir das plataformas mais usadas pela sua audiência.

Leia também: Taboola para afiliados: como ganhar mais dinheiro?

Vale a pena?

A resposta para muitos casos é: sim, a utilização de mídias pagas é uma excelente estratégia para alavancar os seus resultados ou atrair mais visitantes qualificados. Porém, é importante avaliar seu orçamento e o retorno que espera obter com os anúncios.

Além disso, é fundamental ter um bom planejamento e conhecer bem seu público-alvo antes de investir em tráfego pago. Isso garantirá que você alcance as pessoas certas e obtenha resultados satisfatórios.

Outro ponto a se considerar é a concorrência na plataforma escolhida. Em alguns nichos de mercado, o valor por clique pode ser alto e, por isso, é importante pesquisar e testar diferentes estratégias para otimizar o custo-benefício dos seus anúncios.

Vantagens

  1. Resultados rápidos: diferente do tráfego orgânico, que pode levar tempo para mostrar resultados, o tráfego pago pode gerar um impacto quase imediato em visitas e conversões.
  2. Controle sobre o orçamento: você pode definir quanto deseja gastar diariamente ou mensalmente, ajustando seu investimento conforme a performance da campanha.
  3. Precisão no alcance do público-alvo: as plataformas de anúncios permitem segmentar o seu público com base em critérios específicos como idade, localização, interesses e comportamentos.
  4. Mensuração detalhada: as ferramentas de análise das plataformas fornecem dados precisos sobre o desempenho dos anúncios, permitindo ajustes e otimizações em tempo real.
  5. Aumento da visibilidade: anúncios pagos garantem que seus produtos ou serviços apareçam nas principais posições de busca ou feed de notícias, aumentando a exposição da sua marca.
  6. Flexibilidade nas estratégias: há diversas opções de formatos de anúncios, como textos, imagens, vídeos, e carrosséis, permitindo adaptar a mensagem conforme o público e a plataforma.

Desvantagens

  1. Custo: como o próprio nome indica, tráfego pago requer um investimento financeiro, o que pode ser inviável para alguns afiliados iniciantes.
  2. Concorrência: em algumas plataformas e nichos de mercado, a concorrência pode ser alta, o que aumenta os custos por clique e exige estratégias mais elaboradas para se destacar.
  3. Dependência das plataformas: é importante diversificar suas fontes de tráfego para não ficar dependente apenas dos anúncios pagos em uma única plataforma.

Quanto investir?

Não há uma resposta definitiva para essa pergunta, pois depende de diversos fatores, como seu nicho de mercado, público-alvo e concorrência na plataforma. O ideal é começar com um orçamento menor, por exemplo, algo em torno de R$500 a R$1000, e ir ajustando conforme os resultados obtidos.

É importante também ter um controle financeiro adequado para não comprometer suas finanças pessoais ou do seu negócio. Faça uma projeção de quanto pode investir mensalmente sem prejudicar seus outros gastos e reserve sempre uma parte do retorno obtido para reinvestir na estratégia.

A grande vantagem é que é possível empreender com pouco dinheiro e, ainda assim, investir em tráfego pago. Aqui vão algumas dicas:

  • seja honesto com seu orçamento e verifique se, atualmente, é possível separar um valor para investir em anúncios;
  • avalie quanto as plataformas cobram por anúncio (cada uma trabalha com um valor diferente);
  • faça uma estimativa de público dentro da plataforma escolhida para saber quantos usuários podem ser alcançados com seu orçamento;
  • estude a possibilidade de investir em mais de uma fonte de tráfego pago.

É importante lembrar que o investimento em anúncios não é obrigatório para quem quer ganhar dinheiro na internet como afiliado. Na verdade, dá para começar sem gastar nada.

Se preferir, você pode iniciar usando apenas os canais de tráfego orgânico (como posts tradicionais nas redes sociais, sites e blogs) e, em seguida, usar seus rendimentos para investir em tráfego pago e aumentar seu alcance.

Como o valor a ser pago é definido?

Em geral, o valor é calculado a partir de uma oferta que você faz para aparecer como destaque nos resultados da plataforma escolhida. No caso do Google Ads, por exemplo, você pode definir um orçamento diário e o custo médio por clique.

Além disso, as plataformas levam em consideração diversos fatores para determinar a posição dos anúncios nos resultados de busca ou nas redes sociais. Por isso, é importante ter uma estratégia bem definida e acompanhar constantemente os resultados obtidos.

Vamos falar a seguir sobre as duas formas mais comuns de cobrança em anúncio: CPM e CPC:

CPM

O CPM ou Custo por mil impressões é o método de pagamento baseado por quantidade de impressões: o número de vezes que o anúncio é visto. Em outras palavras, o anunciante é cobrado a cada vez que o anúncio aparece para mil usuários.

CPC

Já no CPC ou Custo por clique, o anunciante paga por clique que o anúncio recebe. É o método de pagamento mais adotado pelas plataformas. Cada usuário que clica no anúncio é direcionado a uma página específica para conhecer produtos e serviços. Isso significa que o anunciante paga por um tráfego real para suas páginas.

Fotografia de um celular com a logomarca do Google Ads. Ao fundo, a tela de um notebook com diversos gráficos.

Como divulgar meu link de afiliado no tráfego pago?

Para quem trabalha como afiliado, é importante divulgar seu link de afiliado nos anúncios, para que seja possível acompanhar o retorno das vendas e obter a comissão pelo trabalho realizado.

Na maioria das plataformas de tráfego pago, existe uma opção chamada “URL rastreável” ou “URL de conversão”, onde você pode inserir seu link de afiliado. Desta forma, quando alguém clicar no anúncio e fizer uma compra através do seu link, será contabilizada como uma conversão para você.

No entanto, existem algumas plataformas, como o Facebook Ads, em que essa opção não é permitida para afiliados.

Por isso, outra opção viável é criar uma landing page própria com um conteúdo relevante sobre o produto ou serviço que está promovendo e inserir seu link de afiliado nela. Assim, você poderá direcionar os usuários para essa página através dos anúncios e aumentar suas chances de conversão.

Quais são os erros a serem evitados com tráfego pago?

Para melhorar sua estratégia, todo empreendedor digital deve ficar ciente dos erros que não podem acontecer ao fazer o investimento nesse tipo de publicidade. Veja quais são eles e aproveite para colocar em prática algumas dicas de tráfego pago para afiliados.

Não conhecer seu público-alvo

Conheça o comportamento, os hábitos e o tipo de linguagem de quem pode comprar o produto que você está divulgando. Sem essas informações, há o sério risco de usar fontes de tráfego pago pouco efetivas ou uma linguagem inadequada para sua audiência.

Por exemplo, se, durante as pesquisas que você realizar, acabar descobrindo que os seus clientes se encontram 90% no Instagram, não há a necessidade de você fazer anúncios no Twitter, Facebook ou outras redes sociais.

Com essa informação, você também poderá definir as palavras-chave para usar nos anúncios. As fontes de tráfego pago usam as palavras-chave para cruzar os dados da sua campanha com as informações dos usuários. Assim, os anúncios podem aparecer para o público-certo.

Anúncios falsos ou exagerados

Existe uma linha muito tênue que separa o verdadeiro do falso no mundo da publicidade. De acordo com o Código de Defesa do Consumidor (CDC), anúncios com propaganda enganosa apresentam informações falsas, induzem as pessoas ao erro ou deixam de comunicar, de forma proposital, aspectos sobre um produto ou serviço.

Em suma, é preciso tomar cuidado para não divulgar um produto como algo que ele não é. Faça apenas anúncios verdadeiros e não passe uma falsa ideia sobre a sua real utilidade.

Além disso, monitore a resposta do público para saber se existem respostas negativas. Em anúncios nas redes sociais, por exemplo, confira os comentários para identificar esse retorno e saber por que algum dos usuários se sentiu enganado.

Falta de clareza sobre a ação que você espera do usuário

Para gerar tráfego, é importante que você tenha em mente qual é a ação que o anúncio deve provocar no usuário. A falta de clareza deixa as pessoas perdidas sobre o que deve ser feito e, como consequência, os anúncios acabam tendo uma alta taxa de rejeição.

Então, certifique-se de que os seus anúncios apresentam um CTA (Call to Action ou Chamada para Ação) visual ou escrito. Por exemplo, se você é um afiliado digital, use no final dos anúncios expressões como “Conte com a ajuda de um especialista” ou “Dê o próximo passo para o seu futuro”.

Trabalhe com a gente!

Agora, você já sabe como investir em tráfego pago para afiliados e como criar anúncios realmente capazes de gerar retorno. Se quiser garantir que o seu esforço seja reconhecido, aqui vai uma dica extra: junte-se a empresas que são referência. Assim, você receberá valores justos e poderá cobrir os seus futuros custos com publicidade.

A Consultoria Educação está de portas abertas para a inscrição de novos consultores. Então, se você quer ganhar dinheiro indicando cursos de graduação pela internet, visite nosso site e faça já seu cadastro, de graça!

Guia prático: obtendo sucesso no trabalho em um programa de afiliados

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.